EVANGELIZAÇÃO

 

A Evangelização Espírita da infância e da juventude

Como se situa, no conjunto das atividades da Instituição Espírita, a tarefa da Evangelização Espírita Infanto- Juvenil ?

"Tem sido enfatizado, quanto possível, que a tarefa da Evangelização Espírita Infanto-Juvenil é o do mais alto significado dentre as aatividade desenvolvidas pelas Instituiçõs Espíritas, na sua ampla e valiosa programação de apoio à obra educativa do homem. Não fosse a evangeliza;cão, o Espiritismo distante de sua feição evangélica, perderia sua missão de Consolador, renteando-se com a diversidade das escolas religiosas no mundo que, embora úteis e oportunas, estiolaram-se no tempo absorvendo posições de terminalidade e dogmatismo.

É forçoso reconhecer que Espiritismo sem aprimoramento moral, sem Evangelizaçào do homem é como um templo sem luz.

Já tivemos oportunidade de lembrar que uma Instituição Espírita representa uma equipe de Jesus em ação e, como tal, deverá concretizar seus sublimes programas de iluminação das almas, dedicando-se com todo empenho à evangelização da infância e da mocidade."

Bezerra de Menezes- extraída da "Separata do Reformador", outubro ,1992.

"Têm-me informado os Benfeitores Espirituais, entre as quais Dr.Bezerra de Menezes, Joanna de Ângelis e Amélia Rodrigues, que este necessário labor é o " sêmen" fecundante do Bem no organismo da criatura humana, produzindo "frutos " de sabedoria e de paz. A Casa Espírita, através das suas diversas atividades doutrinárias, mediúnicas, educacionais e assistenciais, compromete-se a ensinar e viver a Doutrina codificada por Allan Kardec. Tarefas essas todas grandiosas e de valor incotestável. No setor doutrinário-educacional a obra se agiganta quando dirigida às gerações novas, ainda não comprometidas emocionalmente com os problemas da atualizade e receptivas às orientações que lhes chegam. A divulgação do Espiritismo sob todas as formas é o grande desafio para os espírtas e suas instituições neste momento grande da Humanidade. A Evangelização Infanto-Juvenil é uma das primeiras atividades a serem encetadas como base para a construção do Mundo Novo."

Divaldo P.Franco, inspirado por Joanna de Ângelis

- extraída da "Separata do Reformador",outubro 1982.

"... É notável verificar que as crianças educadas nos principios espíritas adquirem uma capacidade de raciocinar precoce que as torna infinitamente mais fáceis de serem conduzidas. Nós as vimos em grnade número, de todas as idades e dos dois sexos, nas diversas famílias onde fomos recebidos e pudemos fazer essa observação pessoalmente. Isso não as priva da natural alegria, nem da jovialidade. Todavia não existe nelas essa turbulência, essa teimosia, esses caprichos que tornam tantas outras insuportáveis. Pelo contrário, revelam um fundo de docilidade, de ternura e respeito filiais que as leva a obedecer sem esforços e as torna responsáveis nos estudos. Foi o que pudemos notar, e essa observação é geralmente confirmada..."

Allan Kardec, em "Viagem Espírita em 1862"

"Para os Espíritos Superiores, o que significa evangelizar a criança e o jovem, à luz da Doutrina Espírita ? "

resposta do Espírito Áureo:"Nenhum Espírito atinge culminâncias evolutivas, nos círculos Superiores da Vida Eterna, sem que, ao longo de sua extensa jornada ascensional, haja tecido indestrutíveis laços de profunda afetividade com numerosas outras almas. Em razão disso, e sem embargo do essencial universalismo que lhes caracteriza as generosas provisões de amor fraterno, soem guardar, nos imos de si mesmos sublimes ascendente de carinhosa tutela sobre seres que se lhes demorarm à retarguada, os quais, à feição de afilhados que o Eterno Pai lhes confiou, gravitam, à moda de satélites vivos, em torno de centro estelar do seu devotamento. Nosso Divino Mestre nos ensinou essa lição, ao recomendar que jamais desprezássemos quaisquer irmãos menores do que nós, porque- asseverou- "os seus anjos nos céus, vêem incessantefmente a face do meu Pai"(Mateus 18:10). Fácial, portanto, de se imaginar a bênção que significa, para qualquer Grande Espírito, o poder proporcionar aos seus tutelados, nos albores de sua reencarnação na crosta do Planeta, as luzes do Espritismo Evangélico, suscetíveis de fortalecer-lhes o caráter para o enfrentamento triunfal de suas lides remissoras, no sempre difícil reaceso à arena das recapitulações e das provas terrenais. Ademais disso, que de melhor se pode fazer pela árvore, senão proteger-lhe as sementes ? Ou pelo rebanho, senão defender-lhe as crias ? Ou pela Humanidade, serão cuidar-lhe das novas geraçòes, que lhe garantirão a qualidade e o futuro ? Nada pode ser mais promissor, mais construtivo, nem mais belo, do que plantar as sementes do amor, da fraternidade, da virtude e da paz, no coração das crianças e dos jovens qe renascem para a vida, na seara do mundo."

Áureo- extraída do "Reformador", FEB

 

NOVA ORDEM SOCIAL

A nova ordem social por todos anelada, na qual os direitos do homem constituem a essência de suas expressões, não poderá ser estabelcida através do desrespeito à ordem vigente, nem da convulsão fratricida.

Todo empreendimento de elevação moral da sociedade nos dias modernos, deve apoiar-se na educação infanto-juvenil-base do futuro da Humanidade- ao mesmo tempo envolvendo as massas, nesse processo de aquisição dos valores que estruturam o comportamento do indivíduo para melhor compreender e viver os objetivos de sua evolução.

Sem uma consciência das nobres finalidade da vida, o homem pode adquirir recursos para a sua e a comodidade do clã, nunca, porém, para a felicidade e a paz interior.

Transposta a meta imediatista do que considera essencial, parte, insatisfeito ou atormentado, deprimido ou violento, na busca de novas sensaçòes que o atraem pela novidade ou que o perturbam, graças à comunicação massificadora decorrente dos veículos de informação.

Por outro lado, a metodologia da afirmação dos interesses, mediante a imposição da violência e do constrangimento, redunda no esvaziamento ideológico pelos esforços que inspira e graças às reações de igual teor que a provoca. (...)

(...) O progresso é lei inevitável no processo de crescimento das sociedades. Todavia, cada conquista realizada pela força produz desequilíbrios na área moral, que retardam a marcha da evolução, face ao imperativo da reencarnação que traz de volta o agressor, o adversário, em condição dolorosa que lhe propicia reparar os danos, assim sofrendo as conseqüências dos seus atos transatos não perturbando o processo da evolução geral.

É comum este fenômeno nas chamadas "sociedades ricas ", onde o fantasma da miséria econômica foi afastado, embora não totalmente, mas permitindo, em contrapardida, a miséria moral, que se reflete nos vícios, nos crimes, nas alienações e no terrorismo como forma de afirmação da personalidade das gerações novas e insatisfeitas.

O Espiritismo possui a chave para o problema, educando o homem, moral e espiritualmente, auxiliando-o a sair da faixa dos instintos para os sentimentos e destes para a razão.

Proclama a revolução moral, imediata, cujas vítimas são os vícios e as imperfeições, os atavismos ancestrais negativos e as paixòes dissolventes...

Sem mecanismos de evasão à responsabilidade, mas sem a violência geradora do caos, não se apóia em pieguismos narcisistas e ergue a flama da verdade, demonstrando que o homem integral não é o vencedor transitório do mundo, mas o conquistador de si mesmo, assim fomentando o trabalho digno como alavanca propulsora dos objetivos que levam à nova ordem social, que é de paz, de amor, de liberdade com responsabilidade, de ben.

Para esse cometimento, ninguém se pode eximir, porquanto, membro do organismo social, cada homem em se transformando para melhor está realizando o programa de revolução espiritual da nova ordem pela qual todos lutamos.

Eurípedes Barsanulfo ( extraído do livro "Antologia Espiritual")

 

JOVENS

No estudo das idéias inatas, pensemos nos jovens, que somam à tendências do passado as experiências recém-adquiridas.

Com exceção daqueles que renasceram submetidos à observação da patologia mental, todos vieram da estação infantil para o desempenho de nobre destino.

Entretanto, quantas ansiedades e quantas flagelações quase todos padecem, antes de firmarem no porto seguro do dever a cumprir!...

Ao mapa de orientação respeitável que trazem das Esferas Superiores, a transparecer-lhes do sentimento, na forma de entusiasmos e sonhos juvenis, misturam-se as deformações da realidade terrestre que neles espera a redenção do futuro.

Muitos saem da meninice moralmente mutilados pelas mãos mercenárias a que foram confiados no berço, e outros tantos acordam no labirinto dos exemplos lamentáveis, partidos daqueles mesmos de quem contavam colher as diretrizez do aprimoraamento interior.

Muitos são arremessados aos problemas da orfandade, quando mais necessitavam de apoio amigo, junto de outros que transitam na Terra, à feição das aves de ninho desfeito, largadas, sem rumo, à tempestade das paixões subalternas.

Alguns deles, revoltados contra o lodo que se lhes atira à esperança, descem aos mais sombrios volutabros do crime, enquanto outros muitos, fatigados de miséria, se refugiam em prostibulos dourados para morrerem na condição de náufragos da noite.

Pede-se lhes o porvir e arruina-se-lhes o presente.

Engrinalda-se-lhes a forma, e perverte-se-lhes a consciência.

Ensina-se-lhes o verbo aprimorado em lavor acadêmico, e dá-se-lhes na intimidade a palavra desagradada em baixo calão.

Ergue-se-lhes o ideal à beleza da virtude e zomba-se deles toda a vez que não se revelem por tipos acabados de animalidade inferior.

Fala-se-lhes de glorificação do caráter, e afoga-se-lhes a alma no delírio do álcool ou na frustração dos entorpecentes.

Administra-se-lhes abandono e critica-se-lhes a conduta.

Não condenes a mocidade, sempre que a vejas dementada ou incoseqüente. Cada menino e moço no mundo é um plano da Sabedoria Divina para serviço à Humanidade, e todo menino e moço transviado é um plano da Sabedoria Divina que a Humanidade corrompeu ou deslustrou.

Recebamos os jovens de qualquer procedência por nossos próprios filhos, estimulando neles o amor ao trabalho e a iniciativa da educação.

Diante de todos os que começam a luta, a senha será sempre -" Velar e compreender", a fim de que saibamos semear e construir, porque, em todos os tempos, onde a juventude é desamparada, a vida perece.

Emmanuel ( extraído do livro "Religião dos Espíritos ")

VEJA OUTROS ASSUNTOS

 

Para imprimir esta página Clique aqui!